Quais são os Sinais de uma Alergia Alimentar em Bebês?

A chegada de um bebê trás inúmeras preocupações aos pais, principalmente nos primeiros anos de vida, uma fase de muitas descobertas, novidades e experimentação para ambos os lados.

A introdução alimentar do bebê, em especial, pode ser bastante desafiadora e gera muito receio por conta do risco de possíveis alergias alimentares. Afinal de contas, será o primeiro contato do bebê com determinado tipo de alimento, e este contato pode não ser tão prazeroso assim, causando desconforto, dor e até mesmo, em casos mais graves, a morte do bebê.

Por isso é importante saber quais são os sinais de uma possível alergia alimentar. Continue lendo e confira!

Desconto HOJE: 9%
Sabonete líquido para bebê Protex Baby Delicate Care 380ml
Proporcione ao seu bebê um cuidado completo e confiável com o Sabonete Líquido Infantil Bebê Protex, uma opção suave, segura e eficaz para uma pele saudável e protegida desde os primeiros banhos.

Como identificar de o bebê está com alergia alimentar

Antes de mais nada é importante sempre seguir as orientações médicas. Por isso, procure ajuda de um pediatra para saber o que deve ou não oferecer ao seu bebê para comer, assim como a forma de preparar, a quantidade e tudo que envolva a alimentação do seu filho.

Alguns estudos demonstram que a exposição precoce, por volta dos 4 meses, a alimentos potencialmente alérgenos, pode induzir tolerância. Por isso, evite!

Outro ponto é que, após a liberação por parte do pediatra, sempre que você for oferecer um alimento novo e/ou potencialmente alérgeno ao bebê, ofereça em pequena quantidade e preste bastante atenção aos sinais de uma possível alergia. Alguns desses sinais podem aparecer imediatamente a ingestão do alimento, ou somente horas depois.

Os sinais mais comuns de alergia alimentar incluem:

  • Erupção cutânea, que pode aparecer como urticária, eczema ou dermatite, surgindo em em qualquer parte do corpo, como rosto, tronco, braços e pernas;
  • Inchaço do rosto, língua, olhos e/ou garganta;
  • Problemas gastrointestinais, como náuseas, vômitos e/ou diarréia, gases e cólicas;
  • Coceira nos olhos, na boca e/ou garganta;
  • Dificuldade para engolir, por conta do inchaço na garganta e/ou língua;
  • Vermelhidão nos olhos e olhos lacrimejantes;
  • Dificuldades para respirar, nariz entupido, coriza, chiado no peito e/ou tosse;
  • Choque anafilático, um sintoma raro em bebês, mas potencialmente fatal. É uma reação grave e pode causar dificuldade respiratória, queda na pressão arterial e perda de consciência.

O ideal é que, principalmente nessa fase que vocês estão explorando novos alimentos, você tenha o cuidado de oferecer um alimento diferente por vez. Dessa forma, ficará mais fácil identificar o que possa ter causado alguns dos sinais de alergia alimentar descritos acima.

Caso note qualquer um dos sintomas após a introdução de um novo alimento na dieta do seu bebê, é imprescindível que você o leve a uma consulta com um médico imediatamente, relate o ocorrido e siga todas as instruções dadas pelo médico.

IMPORTANTE: Caso seu filho apresente sinais de dificuldade respiratória ou choque anafilático, leve-o IMEDIATAMENTE a emergência hospitalar.

Desitin Máxima Duração Creme Preventivo De Assaduras,57g
  • Ajuda a prevenir assaduras e irritações desde a 1a aplicação
  • Fórmula testada por pediatras
  • Forma uma camada protetora de longa duração na pele do seu bebê
  • Comprovado por ser suave na pele do bebê, que exige cuidado especial
  • Desitin 57g, é o Creme Preventivo de Assaduras perfeito para seu bebê

Alimentos que costumam causar alergia alimentar em bebês

Dentre os diversos tipos de alimentos que podem ser oferecidos aos bebês, existem alguns que tem maior potencial de causar alergias alimentares. Dentre eles, podemos destacar:

  • Leite de vaca e todos os seus derivados;
  • Amendoins e nuts como nozes, amêndoas e castanhas;
  • Peixes e frutos do mar (mariscos, camarões e etc);
  • Ovos;
  • Trigo e soja.

O ideal é que esses alimentos sejam introduzidos na dieta do bebê com cautela e, principalmente, com a orientação do pediatra. Pois, como vimos, os sintomas de alergias alimentares podem variar de níveis mais leves como erupção cutânea, até mais graves e fatais, como a dificuldade para respirar e anafilaxia.

Existe alguma forma de identificar qual alimento o bebê tem alergia?

Como existe uma variedade de tipos de alimento que podem causar alergia, é fundamental que se consiga identificar qual deles não é bem aceito pelo organismo do seu bebê, a fim de não mais oferecer, evitando todo desconforto e dor que pode gerar.

Por isso, sempre fique atenta ao que está oferecendo a seu filho para comer. Saiba exatamente o que compõe sua dieta, sempre oferecendo apenas um alimento novo por vez, com intervalos de pelo menos 48 horas entre eles.

Outro ponto é que, você deve prestar atenção se o seu bebê apresenta alguns dos sintomas listados acima, seja logo após ter contato com o alimento ou até mesmo, horas depois.

Outra medida a ser tomada é suspensão da oferta do alimento suspeito. É importante observar se os sintomas desaparecem quando o alimento for retirado da dieta do bebê. Se os sintomas desaparecerem, isso pode indicar que é exatamente esse o alimento está causando alergias.

Desconto HOJE: 5%
Aspirar Baby Aspirador Nasal
  • Nariz entupido?
  • O jeito mais fácil de limpar o narizinho do bebê
  • Aspirador nasal por sucção
  • Cor do produto: Azul
  • Nome do modelo: AspirarBaby com estojo

O que fazer caso o bebê coma algum alimento que tenha alergia?

Após toda fase de introdução alimentar e identificação dos tipos de alimento que seu bebê possivelmente possa ter alergia, é necessário suspender a oferta e informar a toda família e cuidadores da criança. Dessa forma, você evitará que o bebê tenha contato com os alérgenos, evitando assim o surgimento dos sintomas.

Mas, caso o seu bebê coma algum dos alimentos que causam alergia, você deverá administrar algum medicamento prescrito previamente pelo pediatra, com o objetivo de aliviar os sintomas, como anti-histamínicos para reduzir a resistência ou inchaço, ou outros medicamentos para aliviar a reação alérgica.

Não espere que os sintomas piorem ou até mesmo apareçam. Assim que o bebê tiver contato com o alérgeno, dirija-se a um atendimento de urgência e emergência para que o bebê possa ser avaliado e fique em observação, até que seja seguro voltar para casa.

Observação importante: De forma preventiva, mantenha a vitamina D do bebê em dia, pois ela atua como uma potente moduladora de imunidade, o que pode atenuar as reações alérgicas.

Leia também: Antes e Depois do Nascimento – 8 Dicas para Garantir a Segurança do seu Bebê

Qual dessas reações você não sabia que está relacionada a alergia alimentar? Seu bebê já apresentou alguma delas? Qual? Compartilha com a gente!